terça-feira, 15 de janeiro de 2013

ALAN AUTOMÓVEIS INVESTIGADO POR DR. ALFINO

Polícia instaura inquérito para apurar crime de estelionato em loja fechada


Brenda Melo Duarte

O delegado titular do 1º DP de São Vicente, Marcos Alexandre Alfino, informou que a polícia instaurou novo inquérito para apurar denúncia de crime de estelionato envolvendo o proprietário da Alan Automóveis, Alan Otacílio Pereira.



Segundo ele, a hipótese de que o autor tenha aplicado um golpe e fugido não está descartada. "Em tese, pode estar ocorrendo crime de estelionato, já que ele não está sendo localizado pela equipe de investigação."



Nesta terça-feira, o advogado que representa o estabelecimento, Rubens Romão Fagundes, negou que Alan tenha fugido. "A família ficou com medo de represálias e se preservou." Já o delegado Alfino revelou que a defesa do proprietário da loja não procurou a polícia para prestar esclarecimentos.




Créditos: Paulo Freitas




Nesta segunda-feira, os clientes lesados pelo estabelecimento começaram a ser ouvidos pelo advogado da loja



Este é o 9º inquérito instaurado contra a Alan Automóveis. O último envolve sete pessoas lesados pela loja que registraram Boletim de Ocorrência. Mas muitos outros foram afetados. Desde a última segunda-feira, revoltadas, as vítimas procuram documentos e são amparadas pelo advogado do estabelecimento. Mais de 100 clientes já foram ouvidos.



Segundo Alfino, alguns veículos já foram bloqueados por queixa de estelionado. " O cliente deixou o carro para vender e o veículo sumiu", diz.



O delegado afirmou que as buscas pelo proprietário da Alan Automóveis continuam. Além disso, as vítimas estão sendo intimadas a depor. " Os clientes devem municiar o inquérito com documentação que pode servir de base para futura denúncia ao MP".



Alfino reiterou que solicitou à Junta Comercial do Estado de São Paulo o contrato social do estabelecinmento para saber se outras pessoas são responsáveis pela Alan Automóveis.



Procurado



No Parque Bitaru, em São Vicente, onde mora o pai e a mãe de Alan, os moradores já estranham tanta movimentação. Segundo uma vizinha da família, eles deixaram o imóvel na noite da última quarta-feira, quando a loja foi fechada, e não voltaram. Desde então, jornalistas, investigadores e vítimas procuram por Alan no local.



O advogado Rubens Romão Fagundes disse à reportagem que até agora não conversou com o cliente. "A família me procurou e pediu que eu avaliasse a situação. Estou realizando uma auditoria. Até o fim da semana, pretendo ter uma posição."



Segundo ele, a situação é delicada. "Há muitas dívidas. Entre cheques sem fundos e notas promissórias, já são R$ 300 mil".

terça-feira, 24 de abril de 2012

MARCOS ALFINO É CIDADÃO VICENTINO





Câmara homenageia delegado Marcos Alexandre Alfino com o Título de Cidadão Vicentino





O delegado titular do 1º DP de São Vicente, Drº Marcos Alexandre Alfino, recebeu em sessão solene realizada ontem (06), na Câmara Municipal de São Vicente, o Título de Cidadão Vicentino, pelos relevantes serviços prestados ao Município.

A solenidade foi fruto de um decreto-legislativo do vereador Eronaldo José de Oliveira, o Ferrugem. O parlamentar foi o responsável pela saudação ao delegado. “O Drº Alfino é conhecido por todos nós pelo excelente profissional que é. Além disso, seu trabalho social nas comunidades carentes de São Vicente é a prova do seu caráter” , comentou.

Na seqüência da saudação, foi realizada a exibição de um vídeo com fatos marcantes da trajetória do homenageado. Família, trabalhos sociais, Marítimo F.C e várias ações policias foram reproduzidas.

Após o término do vídeo, a entrega do Título de Cidadão Vicentino. O vereador Ferrugem, autor da propositura, entregou o Título ao homenageado. Após uma sessão de fotos, Alfino subiu à tribuna para efetuar seu discurso.

Visivelmente emocionado, o delegado agradeceu a todos pela honrosa condecoração. “Agradeço a todos os meus funcionários, vereadores, ao prefeito Tércio Garcia e, sobretudo, a minha família, por estar aqui hoje recebendo esse Título de Cidadão Vicentino. Para mim, é uma honra ser considerado filho desta terra que me recebeu tão bem. Muito obrigado”, finalizou seu discurso.

Antes do término da sessão, o presidente da Casa, vereador Pedro Gouvêa, fez questão de citar o fato da solenidade ter sido a que mais recebeu autoridades nesse ano. “Isso prova a importância do trabalho desenvolvido pelo homenageado”.

Estiveram presentes na sessão, o prefeito de São Vicente, Tércio Garcia, o delegado titular de São Vicente Pedro dos Anjos, o tenente-coronel, comandante do 2º BIL Sérgio Campanaro, o tenente-coronel PM, comandante Carlos Otero Jorge, vereadores, secretários municipais, além de autoridades de diversos segmentos.

Fonte: Assessoria da Câmara
Foto: Márcio Pinheiro (PMSV)

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

COMBATE AO TRÂFICO DE DROGAS

Nesta reportagem do Jornal Expresso Popular de Santos, lemos notícia do delegado de polícia, Dr. Marcos Alexandre Alfino, combatendo o crime de trafico de entorpecente.













quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TÍTULO DE CIDADÃO VICENTINO


Extraído de: Câmara Municipal de São Vicente - 18 de Março de 2011
Resumo da sessão ordinária do dia 17/03

Ferrugem (PDT) - Solicitou a intimação de munícipes para o cumprimento da legislação quanto à manutenção de passeio público.
Solicitou a reposição de asfalto na Avenida Augusto Severo, na Vila Fátima.
Apresentou Projeto de Decreto-Legislativo no qual propõe a concessão de Título de Cidadão Vicentino ao Dr. Marcos Alexandre Alfino.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

EXAME RESIDUOGRÁFICO

Este rapaz teve sua prisão decretada, baseada em várias evidências que apontam ser ele o criminoso. O Dr. Marcos Alexandre Alfino deve ter requerido a prisão temporária ao Juizo da comarca, fundamentando seu pedido, entre outras coisas no resultado positivo do residuográfico na mão do suspeito. Esta prova científica costuma ser decisiva na condenação de homicidas, que não possuem desculpas para justificar resíduos de pólvoras na mão. (Por: escriba Valdemir Mota de Menezes)

-------------------------

Sexta-feira, 14/01/11 - 09:15
A Tribuna - Suspeito de crimes em São Vicente tinha pólvora nas mãos

A polícia de São Vicente deteve na noite de quarta-feira, por força de prisão temporária, um suspeito de envolvimento nas ações da madrugada que resultaram nas mortes de um PM e um autônomo e no atentado contra outro policial militar. I.F.F.C., de 19 anos, foi preso após o encontro de chumbo em suas mãos e a constatação que havia emprestado o carro suspeito de ligação com os crimes.

Na noite de quarta-feira foram registrados mais dois assassinatos e uma tentativa em São Vicente. O delegado titular do 1º DP, Marcos Alexandre Alfino, contou que a polícia investiga se há relação entre as seis ocorrências. O delegado explicou que a temporária do suspeito foi decretada pelo período de 30 dias. “Por volta da meia-noite ele pegou o carro (Siena) emprestado e deu R$ 10,00 ao dono do veículo. De manhã o devolveu”.

Alfino contou que o acusado alegou que durante a noite “deu um rolé” pelas ruas da Vila Margarida e México 70, mas negou qualquer ligação com os crimes.

Perícia - Exame pericial apontou presença de chumbo nas mãos do jovem. “Ele não soube explicar a pólvora nas mãos”. Alfino disse que I.F.F.C. não tem passagem pela polícia, mas possui tatuagens suspeitas.

Fernando Diegues, de A Tribuna de Santos


FONTE:
http://www.ssp.sp.gov.br/noticia/lenoticia.aspx?id=22932

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

CÍCERO DOIDO

Bandido extremamente perigoso, CÍCERO DOIDO é o principal suspeito deste crime bárbaro. Ele tem um histórico de crimes violentos no Estado de Sergipe, com um modus operandis caracteristico por roubo com violência e estupro. O delegado Marcos Alexandre Alfino chegou no suspeito após intensa investigação na área continental de São Vicente

-------------------------------------






Quinta-Feira, 03 de Julho de 2008, 07:57

Polícia procura assassino de casal na Manuel da Nóbrega
Da Redação

Sérgio de Jesus Batista, de 28 anos, o Cícero Doido, é apontado pela polícia como assassino do casal Caio Corsato, de 25 anos, e Ivy Carolina Ferreira, de 23. As vítimas foram mortas a tiros no último dia 12 de abril na altura do Km 286 da Rodovia Padre Manuel da Nóbrega, Samaritá, em São Vicente.


FONTE
http://atribunadigital.globo.com/bn_conteudo.asp?cod=362933&opr=81

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

DROGADO MORTO POR VELHO

O Dr. Marcos Alexandre Alfino trabalha de forma imparcial, mesmo quando morre um malfeitor, viciado, ou bandido ele dedica-se a esclarecer os crimes. No caso em tela, o delegado trabalhou para apresentar a justiça o autor do disparo de arma de fogo que levou a morte do funkeiro. Compete a justiça interpretar se foi homicídio doloso (com intenção de matar), culposo (no caso de tiro acidental), ou absolver o acusado pela justificativa da Legítima Defesa. Mas nesta oportunidade não podemos deixar de apontar os bailes funks como um barril de pólvora onde s e acumula potencialidade lesiva a sociedade pela ajuntamento de pessoas predispostas a violência.







Terça-feira, 16 de março de 2010 - 13h06
Homicídio
Suspeito de matar rapaz em baile funk é identificado
De A Tribuna On-line

Com informações da TV Tribuna



A polícia procura Claudemir Santana de Moraes, de 70 anos. Conhecido como Mimi, ele é suspeito de ter executado com um tiro na cabeça Anderson da Conceição Santos, de 19 anos.

O crime aconteceu na madrugada de domingo durante um baile funk no Porto Marina Bar, que fica na Avenida Tupiniquins, no bairro do Japuí, em São Vicente. Segundo inquérito da Polícia Civil, Claudemir foi identificado por várias testemunhas.

O delegado Marcos Alexandre Alfino diz que o suspeito é funcionário da marina onde o crime ocorreu.

Ainda de acordo com Alfino, a vítima teria sido surpreendida usando droga por Mimi, que, após ter seu rosto arranhado, teria sacado a arma e efetuado o disparo.

Agora, os policiais tentam localizar Mimi. A prisão temporária do acusado pode ser pedida.

O crime aconteceu por volta de 1h20. De acordo com informações do boletim de ocorrência, registrado na Delegacia-sede de São Vicente, o rapaz estaria no meio do salão quando foi baleado. Ele foi retirado do local pelos frequentadores do bar e levado até o estacionamento.

Posteriormente, o jovem foi levado para o Hospital Municipal de São Vicente (antigo Crei), mas não resistiu e morreu ainda no caminho. Com ele foi encontrada uma carteira contendo R$ 65,00.



------------------------------------------------


Quarta-feira, 17 de março de 2010 - 08h05
São Vicente
Idoso confessa que matou jovem em baile funk
Eduardo Velozo Fuccia


O crime aconteceu no Porto Marina Bar na madrugada de domingo


Claudemir Sant'Anna de Moraes, de 70 anos, se apresentou na terça-feira à tarde no 1º DP de São Vicente e confessou o homicídio de um jovem durante baile realizado domingo de madrugada, no Porto Marina Bar, situado na Avenida dos Tupiniquins, no Japuí.

Acompanhado do advogado Francisco Calixto dos Santos, o idoso disse que a arma disparou "casualmente, por infelicidade". O delegado Marcos Alexandre Alfino, titular do distrito, indiciou Claudemir por homicídio doloso e o liberou, porque não houve flagrante e nem há mandado de prisão contra o acusado.

A vítima do crime, Anderson da Conceição Santos, de 19 anos, levou um tiro na cabeça. Frequentadores do baile chegaram a socorrer o jovem, levando-o ao Hospital Municipal de São Vicente, porém, ele não resistiu à gravidade da lesão. Em interrogatório prestado à Polícia Civil e depois em entrevista concedida a A Tribuna, Claudemir relatou que trabalha como vigilante no Clube de Pesca São Vicente há cerca de cinco anos.

O local trata-se de uma garagem náutica, cujo espaço físico é o mesmo onde se situa o Porto Marina Bar. Na madrugada do último domingo, ele estava de folga, porém, foi convidado para trabalhar extraordinariamente por causa do baile. A função do acusado seria a de vigiar o galpão onde ficam as embarcações, a fim de que nele não entrassem os frequentadores do baile.

Em dado momento, ainda conforme Claudemir, a vítima e outros rapazes iniciaram uma briga e o grupo foi em direção ao espaço restrito aos barcos. "Falei `aqui não', mas fui empurrado por um deles e caí no chão", detalhou o vigilante.

Com o propósito de se defender, segundo alegou, Claudemir apanhou um revólver calibre 38 que trazia em sua bolsa e ergueu a mão. Ele disse que não empunhava a arma, mas apenas a segurava de lado. Mesmo assim, o revólver disparou, sem que acionasse o gatilho.

Para o idoso, o tiro foi "acidental", acrescentando que a arma desapareceu durante a "confusão". Por fim, declarou que herdou o revólver do pai há cerca de 15 anos. O delegado Alfino contou que a autoria do crime estava esclarecida desde a madrugada de domingo.

Promotor de evento

Também na tarde de terça-feira, compareceu ao distrito o promotor de eventos Eduardo Camillo. Ele admitiu que promoveu o baile no Porto Marina Bar, mas se eximiu de qualquer responsabilidade pela morte do jovem. "Apenas fui contratado para organizar a parte artística da festa e divulgá-la. Bilheteria, segurança e assuntos relacionados ao alvará necessário para o evento não eram minhas atribuições", ressalvou.